Pular para o conteúdo principal

Serviço Especial Mão Na Roda

Pessoas, hoje quero falar do Serviço Especial Mão na Roda aqui da cidade - de grande utilidade pública e responsabilidade social.

São 25 veículos adaptados com elevadores hidráulicos e motoristas devidamente treinados pra atender os cadeirantes na região da Grande Vitória.

O serviço implantado pela Ceturb-GV começou em 2000 e já teve avanços consideráveis com o aperfeiçoamento da equipe e aumento da frota. Mais a demanda tá longe de ser a ideal. Precisamos de mais veículos para que um número maior de usuários possam se cadastrar e realizar suas viagens.

O Mão na Roda busca o usuário em casa, leva ao destino e depois deixa na residência novamente. Funciona de domingo a domingo e os veículos começam a rodar as 5 horas da manhã e terminam a meia noite.

A equipe desenvolve ainda um trabalho diferenciado de apoio aos eventos culturais e esportivos das pessoas com deficiência entre eles as Seleções Capixabas Femininas e Masculinas de Basquete, o Campeonato Nacional de Tênis sobre Rodas, a Corrida Dez Milhas Garoto e Apresentações de Balé, promovendo assim uma inclusão social mais efetiva.

Para fazer o cadastro o usuário deve ser cadeirante e morar nos municípios de Vitória, Vila Velha, Serra, Cariaciaca ou Viana. Ligar para o telefone 08000-387077, de segunda a sexta-feira, das 08:00 às 20:00 horas. Depois de cadastrado o agendamento deverá ser realizado no mesmo telefone com 48 horas de antecedência e informar os horários de ida e volta assim como o endereço de partida e destino. Segue a sequência por ordem de prioridade - saúde, trabalho, educação e lazer.

"O Mão na Roda me deu asas." - Janilda Rosindo, atleta de basquete sobre rodas.

"O Mão na Roda foi fundamental para a minha reabilitação. Sem o serviço, não teria voltado a andar, pois não tinha condições de me deslocar para as sessões de fisioterapia" - Márcio Rosi Dias, que perdeu o movimento das pernas após um acidente e se recuperou.

"O Mão na Roda significa liberdade de ir e vir, independência e facilidades. O veículo me pega em casa com hora marcada. Com ótimo atendimento e motoristas qualificados, representou também uma economia no meu orçamento doméstico, pois antes eu precisava usar veículo próprio para ir ao trabalho. É uma importante iniciativa do Governo do Estado" - Moisés Guedes Lima, 33 anos, programador.

Depoimentos retirados do site http://www.ceturb.es.gov.br/default.asp 






Comentários

  1. sou luciana ,filha da maria cruz de almeida,gostaria de rendificar os direitos da minha mãe ,eu não acho justo só os usuários antigos ter direito de ir e vir, minha mãe chora de paixão de voltar a freguentar a igreja ,só q o mão na roda não á leva por ser no mesmo municipio,isso é um desrespeito á ela MªCRUZ DE ALMEIDA.POXA PORQUE SÓ OS USUÁRIOS ANTIGOS PODEM IR E VIR?
    QUERO DIREITO IGUAIS PARA TODOS...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luciana.. vi sua reclamação neste espaço e não pude deixar de prestar minha informação. Em relação a sua insatisfação sobre sua mãe residir no municipio de vila velha e não ser transportada para viagens dentro do mesmo municipio te informo que a Ceturb é o orgão gestor do transporte intermunicipal e municipal em Viana, Cariacica e Serra. Nos municípios de Vila Velha e Vitoria a gestão compete às Prefeituras. No caso de Vitoria, a Prefeitura criou o serviço de transportes para cadeirantes semelhante ao Mão na Roda chamado Porta a Porta, infelizmente a Prefeitura de Vila Velha ainda não criou o serviço para atender em seu município. e desta forma chegou-se a um momento em que a demanda de Vila Velha cresceu tanto que ficou inviável atender a todos, por isso que por respeito a quem ja estava cadastrado, mantivemos o atendimento, não sendo possivel atender aos novos cadastradados para viagens municipais em Vila Velha sob o risco de não ser possível atender nos municípios onde o Estado é "obrigado" a atender !.. espero ter ajudado. Abraços

      Excluir
  2. Oi Luciana, como eu gostaria poder dizer que todos os cadeirantes são atendidos pelo Mão na Roda, sem exceção. A gente sabe que o serviço ainda está longe de ser o ideal como disse no texto acima. Mas é com muita alegria que recebo sua crítica pois só assim podemos caminhar rumo a uma melhora nas muitas barreiras que ainda temos que enfrentar. Portanto agradeço o seu comentário e reforço que sempre que tiver necessidade de expor o que quiser, fique a vontade pois esse espaço é para pessoas como você que luta por um mundo mais justo para todos. Obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Eh aí, Blz!
    Será legal vc postar aqui mais informações sobre o Táxi Acessível.
    Um abraço
    Vanessa e Mônica

    ResponderExcluir
  4. alguem sabe o celular do mão na roda de espirito santo

    ResponderExcluir
  5. Vanessa e Mônica, obrigada pela dica.

    Segue os tels para contato com o Mão na Roda. Cels (pode ligar a cobrar) - 9253-3688, 92533685 e o 08000-387077.

    ResponderExcluir
  6. além desses números, temos o 92578902 e 93110346, além do 92533685 e 92533688, também podem ter as ligações feitas a cobrar... atendimento telefônico 100% gratuito aos usuários!!!

    ResponderExcluir
  7. boa tarde gostaria de saber se este serviço,do maõ na roda esta disponivel para paciente que faz hemodialise
    obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Izabel, maiores informações entre em contato nos tel acima!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ser cadeirante...

O texto abaixo está circulando na internet e achei pertinente postar aqui. É fato e muitas pessoas desconhecem o assunto, ás vezes por não conviverem com um cadeirante e não saberem lidar com uma situação, outras por ignorância, e a maior parte por descaso e desrespeito do próprio Estado de oferecer uma estrutura adequada para que a gente possa viver com mais dignidade. Boa leitura!   Ser cadeirante é ter o poder de emudecer as pessoas quando você passa… Ser cadeirante é não conseguir passar despercebi­do, mesmo quando você quer sumir! E ser completamente ignorado quando existe um andante ao seu lado. E isso não faz sentido, as pernas e os braços podem não estar funcionando bem, mas o resto está!

Ser cadeirante é amar ele­vadores e rampas e detestar escadas… Tapetes? Só se fo­rem voadores, por favor! Ser cadeirante é andar de ônibus e se sentir como um “Power Ranger” a diferença é que você chega ao ponto e diz: “é hora de MOFAR”.


Ser cadeirante é ter al­guém falando com você como se você…

Pessoas com deficiência x sexo

Pessoas, encontrei o texto abaixo e achei bem informativo. Quando o assunto é pessoas com deficiência e sexo ainda existe muito tabu. Ao meu ver o ponto chave é a família. Na maior parte dos casos as famílias tentam superproteger seus filhos afastando-os da vivência plenados seus sentimentos simplemente ignorando-os.

Não falar no assunto é a melhor forma de proteção, certo? Errado. É preciso sim orientar, conversar e assimilar as necessidades de cada pessoa com deficiência, mas ignorar que deficiente não tem sentimentos, não tem desejos, que deficiente não precisa se relacionar afetivamente, não é a melhor forma de tratar o assunto. 

Não somos bonecos de porcelana, que não podem sofrer, que não podem passar por situações difíceis, que não podem se quebrar, ficar em pedaços, em frangalhos. Claro que não queremos isso, mas faz parte. Somos iguais a qualquer outra pessoa e por isso se situações difíceis surgirem é a prova que estamos vivendo, perdendo de um lado e aprendendo do outro, ou …

Devotees

Descobri o termo em uma comunidade do orkut e fiquei curiosa para saber mais a respeito. Passei a ler artigos, blogs e afins, além de discutir o assunto com alguns devotees via MSN. Ainda serei uma pesquisadora profissional heheehe. Nem sempre reconhecemos um devotee de cara, até porque não vem escrito na testa de ninguém, mas com uma conversa dá pra constatar e tirar algumas conclusões. O que não pode acontecer é nos privarmos de conhecer pessoas que possam nos satisfazer emocionalmente. 
O importante é diferenciarmos a pessoa que é um devotee por apreciar a diversidade humana, que deseja sair do óbvio, do certinho, do convencional, para o devotee patológico que só tem olhos e tesão para a deficiência com seus aparatos: cadeira de rodas, muletas e aparelhos ortopédicos. Por tudo que já li cheguei a conclusão que ser um devotee não é doença, a não ser em casos restritos que ultrapassa o bom senso como já disse. No texto abaixo teremos a definição de devotee e suas ramificações com uma …