Pular para o conteúdo principal

Por aí



Sair na noite nos revela prazeres de conhecer um pouco da gente, dos sabores, dos papos, das bebidas, das paqueras, dos namoros e até de esbarrar com figuras inusitadas.

Um clima de descontração e magia que mexe com os nossos sentidos, tudo fica mais apurado, a visão - nos diferentes estilos, nas combinação das cores, nos jeitos e trejeitos das pessoas, na figura do garçom que nos presenteia com seu atendimento - o olfato - na gastronomia, nos perfumes, nas bebidas, nos cigarros - o tato - nos abraços, aperto de mãos, beijinhos, carinhos, o paladar - nas comidas, na mistura de sabores que me encanta - sempre acompanhada de uma boa pimenta - nas bebidas (doces, amargas, ardentes), e na audição - sempre com um bom som misturado às conversas de botequim e às cantorias que surgem de apoio aos músicos daquela nossa canção favorita, além do célebre "parabéns pra você" que aparece quando tem um aniversariante no pedaço.

A noite é uma miscelânea de tudo isso iluminada pelas pessoas. Dizem os baladeiros de plantão que "a noite é uma criança", e é mesmo porque ela nos descontrai, nos apresenta novos mundos, abre portas, nos oferece infinitas possibilidades em momentos de alegria e descontração. É o jogo da vida, cheio de surpresas e aprendizados.

25/03/11 - Elaine Chieppe


Comentários

  1. Oi minha amiga. Adorei ver fotos sua. Ainda mais vc assim sempre tão feliz.

    Continue assim. Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  2. Uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

    Que programaço hehehehe

    Beijos e bom findi

    ResponderExcluir
  3. Oi amiga...

    Tem selinho para vc no endereço:

    http://quemmoradentrodemim.blogspot.com/2011/03/selinho-esse-blog-nao-e-escola.html

    Beijos e bom domingo.

    ResponderExcluir
  4. Elaine.também amo a noite e o brilho das luzes.|Gosto de noites com muita gente em volta e muita música e como vc disse, certamente nos mostra uma nova parte do mundo...o pessoal que vive na noite.Um abraço e boa semana

    ResponderExcluir
  5. Oi Eva, é uma magia inigualável. É o brilho das luzes que se mistura com o brilho das pessoas. Á Kekel e á Janinha obrigada pelo carinho de sempre.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ser cadeirante...

O texto abaixo está circulando na internet e achei pertinente postar aqui. É fato e muitas pessoas desconhecem o assunto, ás vezes por não conviverem com um cadeirante e não saberem lidar com uma situação, outras por ignorância, e a maior parte por descaso e desrespeito do próprio Estado de oferecer uma estrutura adequada para que a gente possa viver com mais dignidade. Boa leitura!   Ser cadeirante é ter o poder de emudecer as pessoas quando você passa… Ser cadeirante é não conseguir passar despercebi­do, mesmo quando você quer sumir! E ser completamente ignorado quando existe um andante ao seu lado. E isso não faz sentido, as pernas e os braços podem não estar funcionando bem, mas o resto está!

Ser cadeirante é amar ele­vadores e rampas e detestar escadas… Tapetes? Só se fo­rem voadores, por favor! Ser cadeirante é andar de ônibus e se sentir como um “Power Ranger” a diferença é que você chega ao ponto e diz: “é hora de MOFAR”.


Ser cadeirante é ter al­guém falando com você como se você…

Pessoas com deficiência x sexo

Pessoas, encontrei o texto abaixo e achei bem informativo. Quando o assunto é pessoas com deficiência e sexo ainda existe muito tabu. Ao meu ver o ponto chave é a família. Na maior parte dos casos as famílias tentam superproteger seus filhos afastando-os da vivência plenados seus sentimentos simplemente ignorando-os.

Não falar no assunto é a melhor forma de proteção, certo? Errado. É preciso sim orientar, conversar e assimilar as necessidades de cada pessoa com deficiência, mas ignorar que deficiente não tem sentimentos, não tem desejos, que deficiente não precisa se relacionar afetivamente, não é a melhor forma de tratar o assunto. 

Não somos bonecos de porcelana, que não podem sofrer, que não podem passar por situações difíceis, que não podem se quebrar, ficar em pedaços, em frangalhos. Claro que não queremos isso, mas faz parte. Somos iguais a qualquer outra pessoa e por isso se situações difíceis surgirem é a prova que estamos vivendo, perdendo de um lado e aprendendo do outro, ou …

Devotees

Descobri o termo em uma comunidade do orkut e fiquei curiosa para saber mais a respeito. Passei a ler artigos, blogs e afins, além de discutir o assunto com alguns devotees via MSN. Ainda serei uma pesquisadora profissional heheehe. Nem sempre reconhecemos um devotee de cara, até porque não vem escrito na testa de ninguém, mas com uma conversa dá pra constatar e tirar algumas conclusões. O que não pode acontecer é nos privarmos de conhecer pessoas que possam nos satisfazer emocionalmente. 
O importante é diferenciarmos a pessoa que é um devotee por apreciar a diversidade humana, que deseja sair do óbvio, do certinho, do convencional, para o devotee patológico que só tem olhos e tesão para a deficiência com seus aparatos: cadeira de rodas, muletas e aparelhos ortopédicos. Por tudo que já li cheguei a conclusão que ser um devotee não é doença, a não ser em casos restritos que ultrapassa o bom senso como já disse. No texto abaixo teremos a definição de devotee e suas ramificações com uma …