Pular para o conteúdo principal

Campanha



O movimento "Essa vaga não é sua nem por um minuto", surgiu de uma iniciativa de mobilização da agencia TheGetz para chamar atenção da sociedade sobre a necessidade de respeito às vagas de estacionamento para pessoas com deficiência.

A idéia ocorreu depois de um incidente de desrespeito a um deficiente em um estacionamento de um supermercado em Curitiba.  O movimento também ganhou um vídeo criado pela agência que está sendo divulgado pelas redes sociais.

A principal desculpa de quem estaciona nas vagas exclusivas para deficientes e idosos é o pouco tempo de permanência no local. Então, a TheGetz colocou cadeiras de rodas nas vagas normais e fez o registro da reação das pessoas em um estacionamento de Curitiba. Além da divulgação nas redes sociais o vídeo pode ser visualizado logo abaixo ou direto do blog do movimento (clique aqui).

Vamos divulgar esse vídeo, uma grande sacada da agência.


Comentários

  1. Oi Elaine! Saudades de você... Vim te desejar uma Páscoa cheia de amor e dizer que vou aderir a esta campanha, postando este selinho na lateral do meu Blog. É pouco, mas é com muito amor que faço. Bjus no coração! Deus te abençoe.Josi

    ResponderExcluir
  2. Olá amiga. Vim te ver. Hum, vc deu uma mudada em seu blog. Sempre foi muito lindo, mas vc o deixa ainda cada vez mais lindo. Q post ótima. Vou levar o selo. Desejo que sua vida e Páscoa veja abençoada. Um beijos grande p/ vc.

    ResponderExcluir
  3. Oi minha amiga, é uma pena que as pessoas queiram tirar os direitos dos outros. Adorei isso! Não é sua nem por um minuto... muito legal a proposta! Passei pra te desejar uma ótima páscoa! Bjokitas minha flor!

    ResponderExcluir
  4. A propaganda é genial!
    bjs Boa Páscoa!
    Jussara

    ResponderExcluir
  5. Oi Laine, minha amiguinha mais fofa do mundo, saudades viu. Passando para lhe desejar uma páscoa repleta de paz e muito amor, nesse coraçãozinho lindo. Beijoooo.
    Com relação a campanha acho ideal, pois falta muio senso moral, consciência e respeito das pessoas em geral para com os deficientes e idosos, fico pasma com isso!
    Vamos em frente na campanha essa vaga não é sua nem por um minuto.Posso pegar seu texto e mandar por email para uns amigos? beijooooooooooo quero resposta xerooooooooooooooooo

    ResponderExcluir
  6. Josinete, Janinha e Juliana, obrigada por aderir a campanha e Ju, pode enviar o texto sim. Á Nikita e Jussara agradeço por sempre estarem por aqui. Uma feliz páscoa e excelente semana à todas.

    ResponderExcluir
  7. Oi querida tem selo pra vc
    http://aldreylaufer.blogspot.com/2011/04/mais-um-selo.html
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Elaine, como vc está minha flor? Apareceu né? Deu o arde sua graça lá no meu blog... serás sempre bem vinda viu? Que seu dia seja maravilhoso, fique com Deus! Bjokitas *Ü*

    ResponderExcluir
  9. Ei querida amiga Nikita, sei que ando meio sumida mas ultimamente meu tempo tá muito corrido. Muitas mudanças acontecendo na minha vida como você verá no próximo post. Não esqueci do seu blog não, adoooooro seu cantinho. Vou tentar ser mais presente na medida do possível.

    Obs:. Estou aqui fazendo figa pra ganhar o seu sorteio.

    ResponderExcluir
  10. oi Elaine...mas a verdade é que o povo só entende um pedido,aviso, quando sofre a ação.No caso ficar sem a vaga por uma cadeira foi irritante, a ponto de uma mulher tirar a cadeira do local não apropriado.É o que deveria ser feito com os carros que estacionam em locais impróprios.Acho que seria a única forma de começarem a obedecer.Já aderí e postei ni Face book.....abraços para vc Elaine

    ResponderExcluir
  11. OLá Elaine, espero que esteja bem e feliz.
    Lendo seu post depois de ter postado minha mensagem do dia, mas que veio bem a calhar. “Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente.”(de Gabriel o Pensador). E fica a Esperança de que um dia a maioria se conscientize do básico da vida, que é o respeito.
    beijos
    Mariza

    ResponderExcluir
  12. Oi amiga...

    O desrespeito ainda é tão grande. Revoltante!!!!!
    É preciso campanhas mesmo para vê se o povo se liga na LEI.

    Beijos

    PS. tem selinho para vc em:

    http://aspalavrasquemedefinem.blogspot.com/2011/04/selinho-contra-mal-olhado.html

    ResponderExcluir
  13. Pois é Eva, é verdade. Obrigada por aderir á campanha.

    Mariza, estou bem sim e em um momento muito feliz também. Aos poucos as pessoas vão se concientizando que o respeito é fundamental para que possamos viver em uma sociedade mais justa. Quanto a frase, muito boa e veio a calhar mesmo.

    Então Kekel, o desrrespeito ainda é grande mas nós somos incansáveis. Amei o selo, preciso colocá-los em dia rsrsrs.

    ResponderExcluir
  14. Adorei a campanha! Muito bom esse vídeo! Vou divulgar! Abraços

    ResponderExcluir
  15. Oi Felipe, obrigada por fazer parte do Sensações de uma Cadeirante. É muito importante divulgarmos mais e sempre.

    ResponderExcluir
  16. OI Elaine, eu apoio muito essa ideia e a divulgação. É importante repeitarmos para sermos respeitados. Essas vagas não são selecionada à toa, mas sim, pois as pessoas precisam das mesmas para que possam levar uma vida normal e poder estacionar o carro de forma normal. Quanto mais nos preocuparmos em garantirmos recursos para que as pessoas possam executar tarefas simples, como por exemplo entrar em um prédio, pois o mesmo tem uma rampa que facilita o acesso, mais as pessoas terão condições de viverem melhor.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  17. Oi Isadora, desculpe a demora em responder, mas é que minha vida está uma loucura. E é isso mesmo, não estamos pedindo nada aquém do que é de direito nosso e de igualdade com os ditos andantes. E a luta continua. Bjos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ser cadeirante...

O texto abaixo está circulando na internet e achei pertinente postar aqui. É fato e muitas pessoas desconhecem o assunto, ás vezes por não conviverem com um cadeirante e não saberem lidar com uma situação, outras por ignorância, e a maior parte por descaso e desrespeito do próprio Estado de oferecer uma estrutura adequada para que a gente possa viver com mais dignidade. Boa leitura!   Ser cadeirante é ter o poder de emudecer as pessoas quando você passa… Ser cadeirante é não conseguir passar despercebi­do, mesmo quando você quer sumir! E ser completamente ignorado quando existe um andante ao seu lado. E isso não faz sentido, as pernas e os braços podem não estar funcionando bem, mas o resto está!

Ser cadeirante é amar ele­vadores e rampas e detestar escadas… Tapetes? Só se fo­rem voadores, por favor! Ser cadeirante é andar de ônibus e se sentir como um “Power Ranger” a diferença é que você chega ao ponto e diz: “é hora de MOFAR”.


Ser cadeirante é ter al­guém falando com você como se você…

Pessoas com deficiência x sexo

Pessoas, encontrei o texto abaixo e achei bem informativo. Quando o assunto é pessoas com deficiência e sexo ainda existe muito tabu. Ao meu ver o ponto chave é a família. Na maior parte dos casos as famílias tentam superproteger seus filhos afastando-os da vivência plenados seus sentimentos simplemente ignorando-os.

Não falar no assunto é a melhor forma de proteção, certo? Errado. É preciso sim orientar, conversar e assimilar as necessidades de cada pessoa com deficiência, mas ignorar que deficiente não tem sentimentos, não tem desejos, que deficiente não precisa se relacionar afetivamente, não é a melhor forma de tratar o assunto. 

Não somos bonecos de porcelana, que não podem sofrer, que não podem passar por situações difíceis, que não podem se quebrar, ficar em pedaços, em frangalhos. Claro que não queremos isso, mas faz parte. Somos iguais a qualquer outra pessoa e por isso se situações difíceis surgirem é a prova que estamos vivendo, perdendo de um lado e aprendendo do outro, ou …

Devotees

Descobri o termo em uma comunidade do orkut e fiquei curiosa para saber mais a respeito. Passei a ler artigos, blogs e afins, além de discutir o assunto com alguns devotees via MSN. Ainda serei uma pesquisadora profissional heheehe. Nem sempre reconhecemos um devotee de cara, até porque não vem escrito na testa de ninguém, mas com uma conversa dá pra constatar e tirar algumas conclusões. O que não pode acontecer é nos privarmos de conhecer pessoas que possam nos satisfazer emocionalmente. 
O importante é diferenciarmos a pessoa que é um devotee por apreciar a diversidade humana, que deseja sair do óbvio, do certinho, do convencional, para o devotee patológico que só tem olhos e tesão para a deficiência com seus aparatos: cadeira de rodas, muletas e aparelhos ortopédicos. Por tudo que já li cheguei a conclusão que ser um devotee não é doença, a não ser em casos restritos que ultrapassa o bom senso como já disse. No texto abaixo teremos a definição de devotee e suas ramificações com uma …