Pular para o conteúdo principal

Seu eu em mim





Num quarto a meia luz ouço nossa música e me faz lembrar das vezes que nos amamos, que deixamos o orgulho de lado e vivemos momentos intensos, só nossos. Sem palavras para nos medir alcançamos nosso instinto mais nobre. Seu semblante viril ainda permanece em mim.

A lembrança me persegue, procuro me desvencilhar mais ela insiste em caminhar comigo como um fardo que me atormenta. Acordo, e como se saísse de um sonho profundo volto à realidade. E ainda assim não acabou, acho que nem o tempo vai apagar esse sentimento.

Sua alegria me deixa mais leve, me acolhe e nos teus braços me sinto protegida. Você me leva para seu mundo e me torna uma pessoa por inteiro. Seu perfume inebriante me deixa com as faces coradas e me entrego para nossa insanidade.

Então me indago: que mal é esse que me atormenta, me coloca em situações de decisões difíceis de serem tomadas diante das pessoas que quero bem? E me vem a resposta: minha cara, esse mal se chama PAIXÃO mais não me engano, no seu caso ela se mistura ao AMOR quando você diz que ele te acolhe e te protege. 

E assim vem o conselho: guarde as lembranças boas desses momentos mas não se aprisione, não se feche, a não ser se esse estado for para se reverter e depois disso você se transformar em uma bela menina mulher pronta para viver uma outra história de amor tão linda e até mais intensa que esta.

09/04/11 - Elaine Chieppe


Comentários

  1. Que bom que gostou da post sobre celular. Acho ke muita gente não sabe e elas vão perder o número e o aparelho.

    Um grande Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Amiga por este lindo blog, já sou seguidor.
    Conheci atravez do blog do profex, onde me deu um selo.
    Convido você a conhecer meu trabalho no http://maustratosaoidosodenuncie.blogspot.com
    Abraço fraterno e Muita Luz em seu caminho.

    ResponderExcluir
  3. Olá Elaine... Vim te visitar e te deixar um beijinho carinhoso! Estava com saudades e decidi vir até aqui. Te gosto, amiga e quero sempre está perto do teu coração! Bjus Josi

    ResponderExcluir
  4. Oi amiga estou pra te convidar pra participar do 1º sorteio da Nikita.

    Você poderá ganhar um lindo Kitty Blogueira da Hello Kitty, contendo: 1 Mouse Pad, 1 mouse, 1 Toalhinha emborrachada, 1 cartela de adesivos e 1 mimo Hello Kitty. Os 5 itens ainda irão dentro de uma sacola fofa da Hello Kitty. A pessoa que tiver feito mais indicações deste sorteio vai ganhar um prêmio surpresa. Os participantes nao precisam necessariamente seguir o blog. Seguir somente se houver interesse nas minhas postagens. Inscrições repetidas serão apagadas, todos terão apenas uma chance. O prêmio será entregue dentro do Território Brasileiro. O sorteado será informado através de e-mail e deverá retornar o contato no prazo de 3 dias. Se isso não ocorrer será realizado novo sorteio. Bjokitas e boa sorte a todos no Primeiro sorteio da Nikita.

    Participe e Boa Sorte!!!

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde, querida amiga.

    Mesmo tendo o mesmo problema que a sua irmã, deve ser doído, vê-la em piores condições, né?

    Você é dinâmica, alegre e se comunica. E isso é muito bom.
    Imagino também os sentimentos da sua mãe.

    Um grande abraço.
    Tenham uma linda semana.

    ResponderExcluir
  6. Muito atrasada mas responderei assim mesmo.

    Janinha, bem vinda sempre querida!

    Ricardo, obrigada pelas palavras e parabéns pelo blog!

    Josinete, obrigada pela visita. Abçs!

    Janinha, não deu para participar dessa vez mas agradeço o convite.

    Amapola, é verdade mas a gente vive a vida da melhor forma possível. Abçs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ser cadeirante...

O texto abaixo está circulando na internet e achei pertinente postar aqui. É fato e muitas pessoas desconhecem o assunto, ás vezes por não conviverem com um cadeirante e não saberem lidar com uma situação, outras por ignorância, e a maior parte por descaso e desrespeito do próprio Estado de oferecer uma estrutura adequada para que a gente possa viver com mais dignidade. Boa leitura!   Ser cadeirante é ter o poder de emudecer as pessoas quando você passa… Ser cadeirante é não conseguir passar despercebi­do, mesmo quando você quer sumir! E ser completamente ignorado quando existe um andante ao seu lado. E isso não faz sentido, as pernas e os braços podem não estar funcionando bem, mas o resto está!

Ser cadeirante é amar ele­vadores e rampas e detestar escadas… Tapetes? Só se fo­rem voadores, por favor! Ser cadeirante é andar de ônibus e se sentir como um “Power Ranger” a diferença é que você chega ao ponto e diz: “é hora de MOFAR”.


Ser cadeirante é ter al­guém falando com você como se você…

Pessoas com deficiência x sexo

Pessoas, encontrei o texto abaixo e achei bem informativo. Quando o assunto é pessoas com deficiência e sexo ainda existe muito tabu. Ao meu ver o ponto chave é a família. Na maior parte dos casos as famílias tentam superproteger seus filhos afastando-os da vivência plenados seus sentimentos simplemente ignorando-os.

Não falar no assunto é a melhor forma de proteção, certo? Errado. É preciso sim orientar, conversar e assimilar as necessidades de cada pessoa com deficiência, mas ignorar que deficiente não tem sentimentos, não tem desejos, que deficiente não precisa se relacionar afetivamente, não é a melhor forma de tratar o assunto. 

Não somos bonecos de porcelana, que não podem sofrer, que não podem passar por situações difíceis, que não podem se quebrar, ficar em pedaços, em frangalhos. Claro que não queremos isso, mas faz parte. Somos iguais a qualquer outra pessoa e por isso se situações difíceis surgirem é a prova que estamos vivendo, perdendo de um lado e aprendendo do outro, ou …

Devotees

Descobri o termo em uma comunidade do orkut e fiquei curiosa para saber mais a respeito. Passei a ler artigos, blogs e afins, além de discutir o assunto com alguns devotees via MSN. Ainda serei uma pesquisadora profissional heheehe. Nem sempre reconhecemos um devotee de cara, até porque não vem escrito na testa de ninguém, mas com uma conversa dá pra constatar e tirar algumas conclusões. O que não pode acontecer é nos privarmos de conhecer pessoas que possam nos satisfazer emocionalmente. 
O importante é diferenciarmos a pessoa que é um devotee por apreciar a diversidade humana, que deseja sair do óbvio, do certinho, do convencional, para o devotee patológico que só tem olhos e tesão para a deficiência com seus aparatos: cadeira de rodas, muletas e aparelhos ortopédicos. Por tudo que já li cheguei a conclusão que ser um devotee não é doença, a não ser em casos restritos que ultrapassa o bom senso como já disse. No texto abaixo teremos a definição de devotee e suas ramificações com uma …