Pular para o conteúdo principal

Incansável I


Depois de percorrer lugares, salas e pessoas, na busca de uma colocação no mercado de trabalho - aqui estou como a mais nova contratada do Vitória Apart Hospital, vaga oferecida para PCD (Pessoa com Deficiência) através de um Projeto deles intitulado "Portas Abertas". Serão oito horas diárias, de segunda a sábado. Todos se mostraram muito receptivos e interessados em se adequar às necessidades do deficiente. Um diferencial importante e necessário quando se fala em seleção de Pessoas com Deficiência para o mercado de trabalho. Ao meu ver gera-se oportunidade quando se acredita no potencial da pessoa, através de um conjunto: análise de currículum, dentre outros aspectos psicológicos desenvolvidos em uma entrevista. 

É importante atentar-se para a deficiência não como uma característica exclusiva de limitação e sim de que forma o empregador pode adaptar a pessoa em uma função que ele seja apto e que esteja de acordo com suas condições físicas. Quando isso acontece, a limitação, até então um bicho de sete cabeças, dá lugar a um profissional que desenvolve suas atividades de forma segura e eficiente.

Como estou com a cadeira de rodas manual, no começo vai ser tenso. Não tenho força suficiente para tocar as rodas e minha motorizada está inutilizada, com defeito por tempo de uso. Foram mais de onze anos e agora ela está no CTI (concerto hehehe) - a beira de um colapso. Com toda essa situação, decidi comprar uma novinha com o dinheiro que irei receber do trabalho anterior. Como recebi somente o FGTS e o restante está na justiça, resolvi antecipar a compra dando uma entrada e financiando o restante. Uma necessidade mais que urgente e que vai facilitar muito meu trânsito e minha independência no trabalho. A motorizada está encomendada e chega dentre vinte dias úteis. Providenciei também outro óculos de grau porque perdi o meu, rsrsrs. Ou seja, agora só estou no aguardo para minhas encomendas chegarem e poder trabalhar com mais segurança e independência.

Muitas mudanças, imaginem: emprego, cadeira e óculos. Uma correria só para providenciar tudo o quanto antes. Haja ansiedade. Ao mesmo tempo estou muito feliz de compartilhar essa nova fase da minha vida com vocês, com a certeza de que vai dar tudo certo, porque vontade e disposição não me faltam.

Comentários

  1. Laine, te desejo muito sucesso nessa nova empreitada e em todas as outras que virão. Te desejo entusiasmo para o trabalho e para a superação dos obstáculos inerentes a qualquer trabalho e trabalhador. Um beijo, querida.

    ResponderExcluir
  2. Oi Elaine.
    Que você se realize nessa nova fase da vida.Que esse emprego seja mais uma porta para sua felicidade e tb dos outros que com certeza serão privilegiados em ter sua compania.

    Beijinhos e fique com Deus.

    Ah, não esquecí do meu selinho, depois eu venho buscar.

    ResponderExcluir
  3. Oi amiga... qtas mudanças mesmo!!1rsrsr Novos desafios sao sempre bem vindos...Sucesso, garra e força minha linda...nos conte as novidades hein! bjo gde

    ResponderExcluir
  4. Laine fique muito feliz com a noticia e com fé em Deus você vai arrasar nessse novo trabalho, lembra sempre de contar as novas ok
    feliz dia das mães linda bjs

    ResponderExcluir
  5. que legal Elaine...um emprego novo...a chance de começar algo diferente é uma delicia...eu tb preciso de um novo par de óculos.Tudo de bom para vc nessa nova jornada que ela continue te fazendo feliz.abraços

    ResponderExcluir
  6. Parabéns! Um emprego novo sempre dá um friiiio na barriga, mas passa.
    Sucesso e boa semana
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  7. Ah, mas é mesmo poderosa.
    Olhar sempre para frente que tudo vai dar certo!!!!!

    Beijos

    PS. Convidando vc para conhecer o blog de LIBRAS de meus alunos.
    O endereço é:

    http://eeblmlibras.blogspot.com/

    Espero vc lá tb

    ResponderExcluir
  8. À Kaka, Márcia , Dá, Srt Poulain, Eva, Jussara e Kekel. Obrigada pelas palavras de apoio e incentivo. É um carinho que não se mede. E isso nos faz creditar que apasar das dificuldades ainda é possível correr atrás do prejuízo rsrsrs. Bjos a todas.

    ResponderExcluir
  9. Olá Elaine! Saudades sempre....
    Estou muito feliz em saber do seu novo emprego. Muito sucesso!
    Bjos
    JAna

    ResponderExcluir
  10. Olá Jana, fico feliz de estar sempre por aqui compartilhando comigo as coisas que acontecem comigo. Saudades também amiga. Bjos a todos aí.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ser cadeirante...

O texto abaixo está circulando na internet e achei pertinente postar aqui. É fato e muitas pessoas desconhecem o assunto, ás vezes por não conviverem com um cadeirante e não saberem lidar com uma situação, outras por ignorância, e a maior parte por descaso e desrespeito do próprio Estado de oferecer uma estrutura adequada para que a gente possa viver com mais dignidade. Boa leitura!   Ser cadeirante é ter o poder de emudecer as pessoas quando você passa… Ser cadeirante é não conseguir passar despercebi­do, mesmo quando você quer sumir! E ser completamente ignorado quando existe um andante ao seu lado. E isso não faz sentido, as pernas e os braços podem não estar funcionando bem, mas o resto está!

Ser cadeirante é amar ele­vadores e rampas e detestar escadas… Tapetes? Só se fo­rem voadores, por favor! Ser cadeirante é andar de ônibus e se sentir como um “Power Ranger” a diferença é que você chega ao ponto e diz: “é hora de MOFAR”.


Ser cadeirante é ter al­guém falando com você como se você…

Pessoas com deficiência x sexo

Pessoas, encontrei o texto abaixo e achei bem informativo. Quando o assunto é pessoas com deficiência e sexo ainda existe muito tabu. Ao meu ver o ponto chave é a família. Na maior parte dos casos as famílias tentam superproteger seus filhos afastando-os da vivência plenados seus sentimentos simplemente ignorando-os.

Não falar no assunto é a melhor forma de proteção, certo? Errado. É preciso sim orientar, conversar e assimilar as necessidades de cada pessoa com deficiência, mas ignorar que deficiente não tem sentimentos, não tem desejos, que deficiente não precisa se relacionar afetivamente, não é a melhor forma de tratar o assunto. 

Não somos bonecos de porcelana, que não podem sofrer, que não podem passar por situações difíceis, que não podem se quebrar, ficar em pedaços, em frangalhos. Claro que não queremos isso, mas faz parte. Somos iguais a qualquer outra pessoa e por isso se situações difíceis surgirem é a prova que estamos vivendo, perdendo de um lado e aprendendo do outro, ou …

Devotees

Descobri o termo em uma comunidade do orkut e fiquei curiosa para saber mais a respeito. Passei a ler artigos, blogs e afins, além de discutir o assunto com alguns devotees via MSN. Ainda serei uma pesquisadora profissional heheehe. Nem sempre reconhecemos um devotee de cara, até porque não vem escrito na testa de ninguém, mas com uma conversa dá pra constatar e tirar algumas conclusões. O que não pode acontecer é nos privarmos de conhecer pessoas que possam nos satisfazer emocionalmente. 
O importante é diferenciarmos a pessoa que é um devotee por apreciar a diversidade humana, que deseja sair do óbvio, do certinho, do convencional, para o devotee patológico que só tem olhos e tesão para a deficiência com seus aparatos: cadeira de rodas, muletas e aparelhos ortopédicos. Por tudo que já li cheguei a conclusão que ser um devotee não é doença, a não ser em casos restritos que ultrapassa o bom senso como já disse. No texto abaixo teremos a definição de devotee e suas ramificações com uma …