Os 12 preceitos que levam à mudança de paradigmas no século XXI



 


COMO ENTENDER E RESPEITAR A PESSOA COM DEFICIÊNCIA

  1. Lembre-se de que as pessoas com deficiência são indivíduos próprios. Elas não pertencem a você, à família, aos médicos ou à sociedade.
  2. Cada pessoa com deficiência é diferente das outras e que, independente do rótulo que lhe seja imposto para a conveniência de outras pessoas, ela ainda assim é uma pessoa “única”. Não existem duas crianças com síndrome de Down que sejam iguais, ou dois adultos com deficiência auditiva que respondam ou reajam da mesma forma.
  3. Elas são pessoas antes de tudo e têm o mesmo direito à auto-realização que quaisquer outras pessoas, no seu ritmo próprio, à sua maneira e por seus próprios meios. Somente elas podem superar suas dificuldades e encontrar a si mesmas.
  4. As pessoas com deficiência têm a mesma necessidade que você de amar e ser amado, de aprender, partilhar, crescer e experimentar, no mesmo mundo em que você vive. Elas não têm um mundo separado. Existe apenas um mundo.
  5. As pessoas com deficiência têm o mesmo direito que você de fraquejar, falhar, sofrer, desacreditar, chorar, proferir impropérios, se desesperar. Protegê-las dessas experiências é evitar que vivam.
  6. Somente as pessoas com deficiência podem lhe dizer o que é possível para elas. Nós, que as amamos, devemos ser observadores atentos e sintonizados.
  7. As pessoas com deficiência devem agir por conta própria. Podemos oferecer-lhes alternativas, possibilidades e instrumentos necessários – mas somente elas podem colocá-los em ação. Nós podemos apenas permanecer firmes, e estar presentes para reforçar, encorajar, ter esperanças e ajudar quando possível.
  8. As pessoas com deficiência, assim como nós, estão preparadas para viver como desejarem. Elas também devem decidir se desejam viver em paz, com amor e alegria, como são e com o que têm, ou deixar-se ficar numa apatia lacrimosa, esperando a morte.
  9. As pessoas com deficiência, independente do grau, têm um potencial ilimitado para se tornar não o que nós queremos que sejam, mas o que elas desejam ser.
  10. As pessoas com deficiência devem encontrar sua própria maneira de fazer as coisas – impor-lhes nossos padrões (ou os da cultura) é irreal e até mesmo destrutivo. Existem muitas maneiras de se amarrar os sapatos, beber em um copo, chegar até o ponto do ônibus. Há muitas formas de se aprender e se adaptar. Elas devem encontrar a forma que melhor se lhes ajuste.
  11. As pessoas com deficiência também precisam do mundo e das outras pessoas para que possam aprender. O aprendizado não acontece apenas no ambiente protetor do lar ou em uma sala de aula, como muitas pessoas acreditam. O mundo é uma escola, e todas as pessoas são professores. Não existem experiências insignificantes. Nosso trabalho é agir como seres humanos afetuosos, com curativos emocionais sempre prontos para uma possível queda, mas com novos mapas à mão para novas aventuras!
  12. Lembre-se de que todas as pessoas com deficiência têm direito à honestidade em relação a si mesmas, a você e a sua condição. Ser desonesto com elas é o pior serviço que alguém pode lhes prestar. A honestidade constitui a única base sólida sobre a qual qualquer tipo de crescimento pode ocorrer. E, acima de tudo, lembre-se de que elas necessitam do que há de melhor em você. A fim de que possam ser elas mesmas e que possam crescer, libertar-se, aprender, modificar-se, desenvolver-se e experimentar, você deve ter essas capacidades. Você só pode ensinar aquilo que sabe. Se você é aberto ao crescimento, ao aprendizado, às mudanças, ao desenvolvimento e às novas experiências, permitirá que elas também o sejam.

Declaração de Manágua
“Queremos uma sociedade baseada na igualdade, na justiça, na equiparação e na interdependência, que assegure uma melhor qualidade de vida para todos, sem discriminação de nenhum tipo, que reconheça e aceite a diversidade como fundamento para a convivência social. Uma sociedade onde o primeiro direito seja a condição de pessoa, de todos os seus integrantes, que garanta sua dignidade, seus direitos humanos, sua autodeterminação, sua contribuição à vida comunitária e seu pleno acesso aos bens sociais.


Veja a Declaração de Managuá na íntegra com a tradução de Romeu Sassaki.


Fonte: Bengala Legal | Leo Buscaglia, educador ítalo-americano.
Texto adaptado para divulgação no site do Instituto Indianópolis
Blog Deficiente Ciente

Comentários

  1. OlÁ ELAINE,

    excelente texto!

    Didático, educativo, orientdor, enfim, um verdadeiro serviço de utilidade pública e oportuníssimo que você presta à sociedade.

    Parabéns , mesmo e gradeço a generosodade da sua atenção com meu blog Humor em Textos.

    É sempre muito prazeiroso, ter você por lá.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  2. "As alegrias revividas nunca morrem."
    Passadinha para matar a saudade e te
    desejar uma semaninha repleta de muitas
    alegrias! beijo enorme, amiguxa!

    ResponderExcluir
  3. Uauuuuuuuuu....texto fantástico.

    Lindona, espero que vc esteja bem, bem, bem .... e é por isso que entendo que chegar em casa e cair na cama é sinonimo de muita atividade e competencia.

    beijuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

    PS. minha vida profissional tb está uma loucura.

    ResponderExcluir
  4. Elaine,
    não conhecia esses preceitos, muito bom vir aqui e aprender.
    abs

    ResponderExcluir
  5. Oie! Abri um blog por essas bandas. Dai vim fazer um teste: vê se é só chegar e postar :)

    Volto outra hora!

    Bom final de semana!
    Beijo,

    ResponderExcluir
  6. Paulo, obrigada pelas palavras de incentivo. Eu que agradeço sua atenção e o prazer é todo meu de tê-lo por aqui. Abçs capixabas rsrsrs.

    Kekel minha linda, sempre autêntica e atenciosa. Que bom poder contar contigo sempre mesmo que a distância.

    Olá Jussara, bom saber que posso colaborar de alguma forma. A propagação da informação via blogosfera é de uma velocidade impressionante. Conto contigo sempre. Obrigada.

    Lella que bom tê-la por aqui também. Deixe o nome do seu blog para eu poder visitá-lo. E sim sim, é só aparecer e poderá comentar quando quiser. Te aguardo. Bom fds pra você também.

    ResponderExcluir
  7. Cacau, que felicidade te ver por aqui.

    Bjs!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pessoas com deficiência x sexo

Devotees

Ser cadeirante...